Bem-vindo ao LusoHipHop.
Especialista em vazamento...
Responsável pelas entrevistas do blog.
Responsável por encontrar músicas para o blog
Responsável por uploads de grande tamanho
Responsável por encontrar artigos para o blog

MÚSICAS SOLTAS

| 10 comentários | sábado, 25 de abril de 2009
|

Nunca mais havia postado músicas que não estivessem relacionados a um só artista. Hoje decidi voltar aos velhos tempos e encontrei umas cenas fixe no meu pc.

No ficheiro abaixo contém:
*Afroman - Realidade (esta música não está no álbum "Mentalidade")
*Bab J - Estou no game (mais um produto da Black Inc.)
*Corleone - Não Sou O Que Esperavas (Música do álbum do Corleone, que está a caminho, disponibilizada exclusivamente para o Lusohiphop)
*DMG - Verão (Música extraída do álbum do meu mano DMG de Moçambique)
*NGA - Chaves da Linha 2 (Mais uma track do Rei da LS)
*Micro 2 - Microfone (Meus manos Flash & Legacy fazem-se acompanhar por Azagaia e Escudo, grande som)
*Simbiose - Apenas sei (Grupo angolano com uma vibe muito fixe, vale a pena ouvir)
*Slim Nigga - Intervalo de Lanche (Essa cena está mesmo maningue nice, tou a seguir os sons desse mano)
*Victor Duarte - Hip Hop Criolo Tá Vivo (Participação do brasileiro Rapadura, esse mano tem um flow muito louco)


Download - Usaupload - Filecoast

INCENDIÁRIOS MIXTAPE

| 1 comentários | sexta-feira, 24 de abril de 2009
|



Disponível em Angola, via Madtapes, temos a Mixtape Incendiários de Sir Scratch e Bob Da Rage Sense. Peguei a minha cópia hoje na Stromp, quando saía do serviço... A cena conta com participações de Prodigo, Nerve, Sagas, Blasph, Capicua, Raf Tag, Eva, Zuka, NGA, Lancelot, God G e Brasileiro (Teorema). Esta mixtape foi mixada por DJ Bomberjack e mistura/masterizada por M para os Estúdios BIG BIT.


Tracklist:
1) MR. MORRISON
2) SIR SCRATCH - BENIGNO ANTÓNIO NETO
3) BOB DA RAGE SENSE
4) BLASPH, SIR SCRATCH E PRODIGO
5) CAPICUA6) RAFTAG
7) BOB DA RAGE SENSE & SIR SCRATCH
8) QQ
9) EVA
10) ZUKA E BOB DA RAGE SENSE
11) SIR SCRATCH & NGA
12) RAFTAG E BOB DA RAGE SENSE
13) SIR SCRATCH, LANCELOT, BOB DA RAGE SENSE E GOD G
14) SAGAS E BOB DA RAGE SENSE
15) NERVE
16) BRASILEIRO (TEOREMA)

Deixo aqui algumas tracks para download... Bom proveito

Download: Usaupload - Filecoast


OBS: Parte do texto foi extraído do blog da Madtapes


ENTREVISTA COM IVETH

| 0 comentários | quinta-feira, 23 de abril de 2009
|


Tal como prometido, vim postar uma entrevista feita por Miss Djei (Lusohiphop Team) à Iveth a.k.a. CBC, da Cotonete Records (Moçambique).


Já haviamos postado abaixo o single, mas agora podem ficar a saber um pouco mais sobre esta female mc. No final da entrevista poderão encontrar algumas músicas disponíveis para download. Kanimambo


01. O que achas do actual hip hop lusófono e do Moçambicano em particular?
!veth:
Pessoalmente, acho que o Hip Hop, tem sofrido uma evolução alarmante, a ponto de começar a cumprir com a sua missão social que é de critica social, logo, ser objecto de muita atenção em todos os escalões de uma sociedade.
Os músicos estão a evoluir, tentam sempre ser mais criativos e optar por uma qualidade de som e imagem invejável, internacional e internacionalizável.
Os estilos de Hip Hop tem se multiplicado e cada um tem evoluído.
Um dos pontos negativos para mim é que tentamos desenvolver um Hip Hop mais internacional, por vezes esquecemos de juntar o Hip Hop àquilo que é de raiz...os ritmos tradicionais.

02. Qual o significado de CBC?
!veth:
Hum...esta é uma das perguntas que nos últimos dias tem abundado...
CBC, foi o meu primeiro AKA e é muito representativo para mim... o descobri ao fazer uma letra em inglês em 97 acho...
“Like a crazy black chick I’ve been doin´this…
Like a crazy black chick I’ve been runnin´ in this street
Like a crazy black chick I’ve been singin´ so sit…listen it and feel this beat with me…”
Significa Crazy Black Chick... Crazy -liricist, Black -afro e Chick-young woman… e a primeira vez que o Sick Brain (Beat Crew) me perguntou e eu respondi... Crazy Black ChicK...pegou!
Actualmente tenho muitos AKAs como Mic Deuse, Nkosikazi, Thua Tujú, Black Afro, Godessa...mas prefiro que me tratem por Iveth!


03. Quem são as suas influências (uma em particular) ?
!veth:
Lauryn Hill, e isso já é do domínio público! Eu particularmente me apaixonei pela sua inteligência. Na altura dos “The Fugees” e depois com os seus albuns a solo, a baptizei minha diva! Acho-lhe inteligente, bonita, talentosa, ela canta e reppa, ela compõe suas músicas, produz, ela é mãe, é esposa...para mim ela é perfeita. Sem contar com a sua forma de fazer Hip Hop que é “suis generis” e tem sempre um pouco de critica social...esta foi a minha maior influência no Hip Hop.


04. MC que admira (Female/Male).
!veth:
Nas! Eu adoro o Nas..., Talib Kweli, Mos Def- acho-os Mcs superdotados. Para além da Lauryn Hill, aprecio também Foxy Brown, Da Brat.
Nos Palop admiro Mcs como Gabriel o pensador, Valete, Sam the Kid, Afro man, dentre outros.
Em Moçambique Sick Brain, Caos, Gina, Fat Lara+.


05. Como te sentes por ser uma das poucas Female Mcs na Lusofonia tendo o reconhecimento que tem?
!veth: Na verdade, o reconhecimento só me atiça a humildade...e pressiona-me a fazer mais e melhor. Não sei até que ponto os admiradores de Hip Hop noutros países da lusofonia admiram a minha música, mas internamente (em Moz) algumas pessoas e/ou entidades têm elogiado muito o meu trabalho, o que me faz sentir muito bem.
Mas como eu sempre digo, gostaria que houvesse mais “Kapulana Hip Hop” e luto por isso! Seria melhor termos várias Mcs...acho que tou a procura de companhia (he,he,he....).

06. O que tens a comentar sobre a participação das mulheres no Hip Hop? Acha que poderá significar alguma revolução?
!veth:
Acho que já comecei a responder esta questão na questão anterior...
Pessoalmente, tendo vindo a analisar a participação das mulheres no Hip Hop e facilmente concluído que é minúscula em quantidade, porém, por vezes grandiosa em qualidade. Ou seja, as poucas que fazem por vezes fazem-no muito bem.
Em todos os elementos do Hip Hop é escassa a participação da mulher ( Dj, Graffite, Bboy/Bgirl, Mc e Não violência), a mulher é quase sempre a destinatária e não a emissora.
E isso preocupa-me, porque eu quero continuidade! E continuidade pressupõe quantidade, mais female Mcs a aparecerem e depois disso trabalha-se na qualidade.
Actualmente luta-se pela emancipação das mulheres à todos os níveis, e acho que Hip Hop é uma área que várias mulheres podem apostar. O Hip Hop forma, molda como pessoa e transmite valores bem como atitudes positivas para quaisquer cidadãos.
Temos que desmistificar que o HHop é por natureza masculino e isso ninguém fará por nós...por isso precisamos de quantidade! E até certo ponto poderá se considerar uma revolução feminina no Hip Hop se tivermos uma participação maciça e efectiva das mulheres no mesmo…

07. O que tem a dizer áqueles mc's que afirmam que o Rap não é para as mulheres?
!veth:
Diria... “Olhem para mim!”
Se Hip Hop não é para mulheres o que é que eu faço aqui?
Das duas uma...ou o conceito de mulher mudou nos dias actuais ou eles desconhecem o conceito de mulher...pelo que aconselharia a percorrerem um pouco dos dicionários de Biologia, Sociologia e mais.
Hip Hop é para todos! Negros, brancos, albinos, homens, mulheres, asiáticos, bantus, para mim, para ti...para todos...Hip Hop não discrimina.

08. Alguma ocupação profissional para além do Hip Hop?
!veth:
Hum...Muitas! Eu me apelido de “jovem turbo” e os motivos já deixei ficar num artigo meu “Pensa(dor)- relatos da minha escassa lucidez”.
Sou licenciada em direito e actualmente trabalho como Jurista, sou ao mesmo tempo docente universitária estagiária numa das Faculdades de Direito do país. Sou ainda activista de direitos humanos e coordeno uma revista sobre a matéria, para além de fazer parte em alguns movimentos de emancipação juvenil.
No âmbito artístico para além de Hip hopper, sou poetisa e compositora. Acho que...por hora é tudo que me lembro.

09. Como é trabalhar na Cotonete Records?
!veth:
É interessante. O Joe (manager) é uma pessoa excelente, os outros membros da Administração idem...são pessoas muito especiais e devo muito à elas. O elenco artístico da Cotonete é recheado de talentos que são ao mesmo tempo ilustres (ideiotas) brotam ideias. A criatividade é uma característica do grupo e o facto de todos serem bons naquilo que fazem, incentiva a cada um a fazer sempre melhor.

10. Izlo e Azagaia têm um rap mais virado para o carácter político, podemos esperar o mesmo de ti?
!veth:
“O homem é por natureza um animal político”... A abordagem do Aza e do Izlo tem uma perspectiva muito politizada e nesse prisma eles fazem-no muito bem.
Acredito que o Hip Hop com o seu cunho forte de critica social, desagua sempre nesse mar político. Mas não esperem o mesmo de mim!
Tenho feito um esforço de criar uma linhagem “suis generis”, e acreditamos que seja correcto porque cada um tem uma existência única. Irão provavelmente ouvir um Hip Hop poetizado, não politizado...ainda que de quando em vez aborde temáticas políticas, mas friso...essa não é a minha linhagem.


11. Como descreve o seu rap?
!veth:
Positivo, Interventivo e Educativo... O meu RAP é um surge et ambula vivo, “acreditador” de um amanhã mais coerente.

12. Uma mensagem para aquelas mc's que ainda estão "atrás da cortina"?
!veth: O Hip Hop é muito mais que música, é uma cultura, é um “modus vivendi”. Antes de saires de trás da cortina, esteja certo de que estás preparado para o mundo...liricamente, psicologicamente e fisicamente e não te deixes levar pelos “falsos Messias” que abundam no Hip Hop divulgando seus “satánicos versículos”. Separe o trigo do joio e...bola pra frente!!!!!!!

*Gregos e Troianos
*Hip Hop Cava
*Seja Feliz
*Capulana Hip Hop
*Mais Hip Hop No Teu Ouvido (Will Jay, Azagaia, Iveth & Rage)

SINGLE DE IVETH

| 0 comentários | quarta-feira, 22 de abril de 2009
|


O single promocional da Iveth, que antecipa o álbum "O CONVITE", ja esta disponível para download gratuito aqui no blog.

Este single da Iveth conta com algumas notáveis participações, a destacar a presença da Jutty e Mimae, vozes lindíssimas que embelezaram mais ainda os refrões, Pitcho na musica "Deixa viver". No que se refere a produção, o single teve dedos do Masta Oz (Tic Tac Produções) e T-Jay. As musicas foram gravadas no estúdio Tchaia Records pelo Singah e misturado e masterizado pelo Scam. O artwork esteve a cargo da GARAGEM. O vídeo foi filmado e editado pela MG Produções. Esta e mais uma produção da Cotonete Records.
.
Brevemente terão aqui no blog uma entrevista com a artista em questão e mais músicas para download.


P.I.M.P. (Pakas, Inveja, Madonnas e Problemas)

| 2 comentários | domingo, 19 de abril de 2009
|

Não vou escrever muito porque tou morto de sono... Venho apenas informar que Reptile e Raiva estão a trabalhar num álbum, que deve sair às ruas ainda este ano. Deixo abaixo uma track do referido projecto para download. E como o mediafire anda a dar bandeira, vamos testar um outro servidor... o Filecoast.

Paz.

Reptile & Raiva - P.I.M.P. (Pakas, Inveja, Madonnas e Problemas) - Usaupload - Filecoast

CMC

| 0 comentários | sábado, 18 de abril de 2009
|

Semana passada estive na Black Inc., estúdio do CMC na Cuca, fiquei impressionado com o trabalho que está a ser feito aí, os gajos não estão a brincar. Conversamos, ouvimos uns beats, ouvi em primeira mão algumas tracks do álbum da Black Inc., que deve sair ainda este ano e ainda trouxe algumas tracks do CMC para postar aqui no blog:

01. Freestyle
02. Hustlers (Com Eliei)
03. Ninguém Melhor
04. 100% Street
05. Street Nigga (Part. I Com Dilibra)
06. Desenrasca (Survivor)
07. Black Inc. vs. Squarmoff - Bonecos

Usaupload - Mediafire

PROMOVER NOVOS ARTISTAS

| 1 comentários |
|

Antes de mais, gostariamos de avisar que temos atrasado na postagem das cenas porque o Mediafire não tem colaborado, por isso, vamos meter no Usaupload mesmo e quando pudermos meteremos aqui o link do Mediafire.
Desta vez deixamos para download 3 artistas novos: Crazye A, Borges Rei e Inekumenos. Vejam a listagem dos sons abaixo:

Crazye A
01. Move
02. Hip Hop (Com CMC)
03. Nova Página
Usaupload - Mediafire

Inekumenos
01. Doce Lar
02. O que os meus olhos vêem
Usaupload - Mediafire

Borges Rei
01. Borges (Com Alírio)
02. Pare de fingir (Com Rei Montel)
Usaupload - Mediafire

OS FALSOS POETAS DO HIP HOP

| 1 comentários | segunda-feira, 13 de abril de 2009
|


Fazia eu a minha ronda diária pelos meus blogs habituais, quando cruzei no blog da Andreia (Curto Circuito) e li essa matéria. Achei interessante e decidi fazer um "copy, paste".
.
Quando decides dar o primeiro passo para seres uma super estrela da indústria musical, a tua cabeça está cheia de cultura e quer mudar conceitos. És ambicioso e idealista. Sabes o que o Hip Hop precisa e achas que o podes mudar. Chuva, gelo, neve, nem o escuro da noite vai impedir-te de realizar o teu sonho de entrar no mundo do Hip Hop. Sentes-te "o tal".
.
A primeira oportunidade aparece e tu segues em frente. O teu sonho é realizado e agora possuis a senha que te dá acesso ao mais alto nível de vida. Todo tipo de glamour está garantido. Roupa de marca, carros, hóteis de luxo e os bolsos, que antes estavam vazios, agora estão cheios de dinheiro.
.
O teu "antigo eu" tinha como objectivo elevar a cultura, mas a vida de VIP falou mais alto. Agora não sabes mais se as pessoas te aplaudem por respeito ou por seres um modelo fabricado. Já não sentes a mesma força na tua voz. Agora falas como é bom ter uma vida de luxo. As mensagens tornaram-se iguais em todos os teus raps
.
O "acesso a tudo" é uma coisa linda. Na verdade, todos nós gostaríamos. Todos queremos! isso. Todavia, esse "acesso" pode prender o desenvolvimento dos nossos futuros rappers. Nós esperamos que estas novas vozes se façam ouvir mais alto, para empurrar as fronteiras do género, para avançar a música. Mas todos os jovens que te acham um modelo do que é esta cultura, ficam com uma ideia errada do que é o Hip Hop.
.
Já vi muitos rappers, de diferentes gerações, caírem nesta armadilha. Eles mesmos diziam - no início - que nunca iriam cair nela. Acham que não têm que trabalhar mais para ter dinheiro. Os jornalistas de Hip Hop preferem entrevistar os rappers que vendem mais, e não aqueles que transmitem uma verdadeira mensagem. Não criticam, não falam, não são verdadeiros. Tornaram-se iguais aos falsos profetas do rap.Queremos de volta a verdadeira essência.
.
Queremos ter um líder verdadeiro. Queremos ter a sensação de ser um fã de alguém que vive e morre por esta música. Não queremos falsos rappers que invadem a indústria usando o meu e nosso Hip Hop em prol de dinheiro e fama. Não queremos rádios que enchem os ouvidos dos miúdos com merda e não investem em boas mensagens.
.
Isto é trágico, porque nesta luta entre o "verdadeiro" e o "falso", a música sofre. Então, para evitar isso, lembra-te dos teus objectivos, do quanto te custou chegar até onde estás. Dá à cultura o que ela necessita, a tua contribuição. E, se achas que por estar no topo, já fizeste tudo, lamento dizer-te, mas ainda nem sequer começaste. Cair é mais fácil que levantar.
.

ENTREVISTA COM SAM THE KID

| 2 comentários |
|


Em que altura começou a tua fase de produção?
Tanto qunto me lembro, foi em 95. As primeiras filmagens do grupo Oficial Nasty são de 96 e recordo-me de ter sido um bocadinho antes que comecei a fazer batidas com um teclado e uma caixa de ritmos da Boss. Por isso, há-de ser por essa altura.

O que te atraiu?
Não é o que me atraiu, a produção foi uma necessidade para pôr as minhas rimas em prática. Em primeiro lugar, sempre me considerei rapper, por isso precisava de músicas para conseguir rimar. No princípio, achava-me distante das músicas que ouvia A música ainda tinha uma certa magia, porque eu não lhe sabia os truques. Depois de os saber, a música resulta de outra forma. No início era apenas uma caixa de ritmos que tinha sons, não era um sampler. Nesse tempo, tinha uma caixa de ritmos e um teclado que um amigo me emprestou. Os meus teclados foram sempre emprestados e, de forma muito artesanal, ligava uma "banana" para o teclado e outra para a caixa. Nas cassetes que gravei, ouves a melodia de um lado e a bateria do outro. Tenho tudo guardado, desde os primeiros tempos

No tema "Quantidades" cm o Beto, dizes "conto 4 elementos quando sinto que há um 5º. ... produção!". No teu entender a produção é uma nova vertente do Hip Hop?
Não. Se tivéssemos de estender as vertentes, a seguir 4ª vinha a produção, depois o beat box, e até podia falar de roupa (apesar de eu não ligar a isso), a linguagem e a maneira de falar. Mas, a meu ver, já não são tão importantes. contudo, tenho ideia de que a produção está inserida na vertente do dj porque, antigamente, eram eles que faziam os beats. Actualmente, a produção tem cada vez mais importância. Dantes, os produtores passavam mais despercebidos e agora é ao contrário: Tens o caso do Timbaland e Pharrel que já são estrelas e produzem para outros géneros musicais. Em meu entender, o que se perdeu foi identidade que havia nos grupos. Hoje, todos têm o mesmo tipo de som. É normal, uns vão a favor da corrente e outros vão contra.

És mais a favor ou contra a corrente?
Sou as duas coisas. Até posso brincar. Não gosto muito das cenas sintetizadas sem alma. Como a minha referência do Hip Hop são samples, gosto dos elementos orgânicos. Posso dizer que, antigamente, a maior parte dos meus beats era feito entre 90 e 100 bpm's. Agora, como uso bpm's mais lentos, fico mais a favor da corrente. Mas não deixo de fazer ao meu estilo, usando vozes, etc...

Qual é o material que usas?
Mpc. Neste momento tenho duas: uma Mpc 2000XL e outra 2500, que a Akai me ofereceu. Por acaso, nunca tive de comprar nenhuma, houve sempre pessoas que mas ofereciam, ou porque não eram capazes de lhes mexer ou porque eu lhes fazia beats e depois me davam.

Fuck pc?
Foi mais numa de defender a máquina que uso. Também disse, nesse som, que não interessa o que tens, importa é o que fazes. Tens o exemplo do 9th Wonder que produz sons no Fruity Loops e muita gente não queria acreditar. Eu prefiro a sensibilidade que existe no Mpc, é muito mais imediato. No computador estás a ver a música e aqui posso sentir o instrumento enquanto toco ao vivo; posso dar show off.

Sentes-te maestro da tua orquestra?
Com certeza que sim uma vez que todos os instrumentos possíveis estão aqui e eu posso trabalhá-los quase em sinfonia.

Qual é o teu processo criativo e de inspiração?
Depende. Agora tenho estado sempre a fazer beats. Apesar da Internet, mesmo benéfica, me consumir muito tempo.A tecnologia neste teu mundo é muito importante...Sim, mas eu nunca fui muito de computador. Só recentemente aderi, o que me permite fazer downloads de drumkits e sound effects muito rapidamente.

Onde é que vais buscar os samples?
Não há limites, até do Youtube saco cenas.Achas que ao ouvires produtores estrangeiros te vai fazer ser um seguidor do género de produção que eles estão a fazer hoje em dia?Claro que sim, mas......

Ouves coisas de fora ou preferes não ouvir para não seres influenciado?
Mas quero ser influenciado. Tinha um amigo, o Furão, que fez alguns beats para o Regula e o Tekilla e ouvia música, não especialmente Hip Hop. Tudo o que ouvimos nos inspira. À posteriori é que podemos fazer comparações, como "este beat está parecido com aquele". Acontece-me muitas vezes conseguir associar os sons mesmo quando estou a ver televisão, como sucedeu com o "I'm Yours" do Jason Mraz e o "Bicho" do Iran Costa. Mas claro que são coincidências. Jason Mraz não conhece o Iran Costa. Uma coisa é plagiar, outra são sons parecidos.

Quais são os teus produtores estrangeiro favoritos?
Dj Premier, J-Dilla, Rza, Hi-Tek, Madlib, Pete Rock e Alchemist.

E Portugueses?
New Max, Kronic, Skunk, Coca, Xeg.

Para finalizar, quando podemos novo álbum de instrumentais?
O "Beats Vol. 2" sai este ano e outro projecto instrumental em que eu estou envolvido que se chama "Ovelha Negra".Esta entrevista foi retirada da revista Freestyle.


PRETO NO BRANCO

| 1 comentários | sábado, 11 de abril de 2009
|

Que o álbum do Boss Ac está nas ruas, isso já foi dito aqui. Por isso não vou entrar em mais pormenores, venho apenas deixar algumas tracks do álbum para download, até porque tou com sono (03h15).

One

Tracks:
Ainda (Boss AC)
És Tão Bonita (Não Me Apanhas) (Com Djodje)
Alguém Me Ouviu (Com Mariza)


PORQUÊ FAZEMOS ISSO... OBRIGADO

| 0 comentários | domingo, 5 de abril de 2009
|

Isto é só um exemplo do que nos motiva a continuar a trabalhar...
"Muito obrigado pelo óptimo blog que disponibilizas para o people. One..."
Juan Marco

"Ola eu adoro muito o lusohiphop ya mais eu queria pedir que mentam mais novidades ok"
Jerry Jerson Barradas Lopes de Barros Barretinho

"Não existe cultura sem falar do nosso Hip Hop. Nas errou dizendo que Hip Hop está morto, pois por mim ele está cada vez mais vivo..Agradeço em nome de todos, por terem reunido esta família Lusofona em prol do Hip Hop....
One love 4 all yo...."
Borges Rei- "Mc"

"Fala ai mano, curti bué do blog... realmente xtá bue recheado de cenas kentes...."
Sven Matuvanga

"Holla, man. Grande post esse o vosso. Props por divulgarem o rap de uma maneira ampla e realista. I mean, todos os q promovem the real hiphop merece props. Keep it poppin'!"
Abilson dos Santos

"Epah mano valeu bwe ya? São motivos como estes que fazem com que eu não paro de dar uma olhada no vosso blog (LusoHipHop), u blog é bwe maneiro...u pessoal do blog anda actualizado com o movimento luso. Curti da cena mano..."
João Macendi

O Lusohiphop Team agradece a todos os que directa ou indirectamente nos apoiam.

Lusohiphop Team:
*Miss Djei
*Pitbull Mau
*Kratos

One, com dois dedos. Hehehehe...

DJI TAFINHA - ENTREVISTA E MIXTAPE

| 0 comentários |
|

Pessoal, encontrei-me virtualmente com o Dji Wolf Tafinha e decidi fazer-lhe 10 perguntas em jeito de entrevista, ele aceitou na hora e o que se passou foi mais ou menos o seguinte:

01. Como foi trabalhar com Valete e Sam The Kid? Como é que aconteceu?
Dji Tafinha: Já falava com o Valete ao telefone desde o lançamento do meu primeiro LP Noites em Branco, sempre quiz ter a honra de cantar com os dois. Fiz o convite ao Valete e ao Sam The Kid por telefone e eles pediram para ouvir os sons já com os meus versos e coros, mandei e eles simplesmente aceitaram.
.
02. Numa das músicas do teu album (Sou Eu Mesmo), tu dizes: "Mesmo quando sou fake, sou mais real do que vocês". Estas a querer dizer que as vezes és fake?
Dji Tafinha: Não, mas que sou humano, também erro, mas nem mesmo quando erro chego a ser tão ridículo quanto alguns rappers q não conseguem ser eles mesmos.
.
03. Em que te inspiraste para escrever a musica "Bitch"?
Dji Tafinha: No simples facto de haver raparigas sinceras no que diz respeito ao modo de vida que querem levar, que em vez de serem respeitadas pela sinceridade são desdenhadas porque preferem respeitar as que fazem nas costas e não mostram a verdadeira cara.

04. Que público alvo pretendias atingir nesse último álbum, visto que não te preocupaste com a “strong language” e crianças ouvem o Tafinha que todos conhecem por "transmissor de mensagens positivas"?
Dji Tafinha: Um cd com o título "Hardcore", para um bom entendedor, nota logo que vem linguagem explícita, o meu público alvo foram todas as pessoas que gostam da minha música, sem excessão, tanto mais que em sons como "Bitch" logo no intro digo que é pra maior de 18 anos por exemplo, não deixei de advertir.

05. Porque dois álbuns no mesmo ano?
Dji Tafinha: Porque o meu eu artístico assim o quiz, só é novidade em Angola tal facto, porque em outros países por exemplo como os Estados Unidos onde o Lil Wayne tira mais de 4 mixtapes em um ano e um R. Kelly ou outros artistas que lançam quase três álbuns em menos de dois anos é super normal, desde que haja contexto e algo para dizer pra mim é super normal.
.
06. O que e que o "Hardcore" tem, que o "Preto No Branco" não tem?
Dji Tafinha: Hardcore é mais rap e o Preto No Branco é mais alternativo.

07. "Lancei Preto No Branco muitos niggaz criticaram, no entanto Noites em Branco esses niggaz não compraram". Isso é uma espécie de desabafo?
Dji Tafinha: Não, de explicação só, porque os que mais falam sobre o movimento são os que menos fazem pelo mesmo, num contexto geral claro.

08. O que tens a dizer ao pessoal que diz que trocaste o Underground pelo Comercial?
Dji Tafinha: N A D A
.
09. Ao que parece, houve uma "limpeza" nos Motim. O que disseste na musica "Quantos?" pode-se entender como uma explicação?
Dji Tafinha: Não, "Quantos" sim, é um desabafo num contexto geral sobre interesse falsidade e por aí fora.
.
10. Porquê é que no Motim, só o Dji Tafinha é que lança álbuns? Será que os outros ainda não estão preparados?
Dji Tafinha: Não só, Motim não é só um grupo musical, mas também uma família de niggaz da rua, e quanto aos lançamentos sempre disse aos que trabalham comigo que têm que estar preparados para não fazerem figuras tristes e ridículas só para dizerem que têm um cd nas bancas que ninguém compra e nem sequer querem ouvir.
.
.
Aproveitando o post sobre o Tafinha, deixa-me informar que o mesmo está neste momento a preparar uma mixtape que se chamará "Noites Em Branco Mixtape". Ainda não tenho mais detalhes sobre a mesma, mas podem já baixar em primeira mão um freestyle da cena:
.
Dji Tafinha - Freestyle (Mixtape Noites Em Branco) - Mediafire - Usaupload

BREAK U - REMISTURA

| 0 comentários | sábado, 4 de abril de 2009
|

Pessoal, a propósito do álbum do AC, fiz um "copy, paste" do texto abaixo no blog do Valete. Curtam a cena:

"Ye pessoal , vim aqui pedir desculpa pela minha participação do som com o Boss Ac e Olavo Bilac para o novo álbum do AC. A cena ficou mesmo fraca. Muito por culpa minha porque costumo sempre acompanhar todos os processos de estruturação das musicas desde a gravação até à masterização, e desta vez não o fiz , até porque era uma altura em que andava sem tempo nenhum e não pude mesmo acompanhar. Só ouvi o som quando o master já estava pronto. A minha rima ficou sem as dobras necessárias, sem as minhas adlibs características, com uma equalização que lhe tirou o feeling e a própria rima até merecia outra gravação com outro swing.. A própria forma como inicialmente se estruturou o som com 24 barras partidas em 3 partes de 8barras também não ajudou. A cena ficou mesmo sem power. Não é mesmo possível para quem ouvir sentir a força da rima. E foi foda porque foi uma rima que escrevi na altura em que se estava a falar muito no genocídio de Darfur, e escrevi de forma muito sentida. Por tudo isto fiz uma espécie de remix desse som do Boss com a rima inteira noutro beat, e a cena já tem mesmo o feeling que merece."

Podem baixar a música clicando logo abaixo

Valete - O Mundo Muda a Cada Gesto Teu - Mediafire - Usaupload

BOSS AC - PRETO BO BRANCO

| 0 comentários |
|

O quarto álbum de Boss AC, "Preto no Branco", já está nas ruas desde o dia 16 de Março. Para o seu mais recente trabalho, composto por 15 faixas, Boss AC convidou Valete e os cantores Olavo Bilac, TC e Mariza.

Deixo para download a música Break U (Com Valete e Olavo Bilac) - Usaupload - Mediafire.

Abaixo têm a tracklist do álbum.

01. Bem vindos os que vêm em paz
02. Ainda (Boss AC)
03. Levanta-te (Stand up)
04. Estou vivo
05. Tu queres e eu quero também
06. Eu amei, eu chorei
07. A boca diz o que quer
08. És tão bonita (Não me apanhas)
09. Alguém me ouviu (Mantém-te firme)
10. I don’t give a…
11. Better this way (É melhor assim)
12. Break U
13. Rimas de Saudade (Tanta saudade)
14. Pa Nada
15. Acabou (Até te esquecer)

GPRO MIXTAPE

| 0 comentários |
|


Já muitos devem ter baixado a mixtape da Gpro, mas para quem ainda não teve a oportunidade de o fazer deixo aí os links para download. A cena tá maning nice, vale a pena baixar.

One

Gpro Mixtape Vol. 1 (Parte 1)- Mediafire - Usaupload
Gpro Mixtape Vol. 1 (Parte 2)- Mediafire - Usaupload

CABES

| 0 comentários |
|

Estava a checar a minha caixa de correio quando encontrei o email de um mano, com o seu single promocional, o seu álbum foi lançado em Janeiro de 2009, não fui a tempo de promover a cena antes, mas antes tarde do que nunca. Falo do Cabes, mc brasileiro cujo álbum teve o início de produção em 2007. O trabalho foi feito de forma totalmente independente contando apenas com ajuda de amigos e parcerias.

Esse é o disco de estréia entitulado "Todo dia é assim", com produções de Cabes e de outros produtores de Curitiba (Cilho, Nave, Dario) e alguns de "fora" (Shaolinbeats - RS / Dj Caique - SP), participações nas vozes de Ant, Belkis e Cris Mora, além de riscos de Dj Sonik, Dj Morenno e Dj Soares.

Playlist:
01 - Intro part. Dj Morenno (Produção por Cabes)
02 - Diga sim part. Dj Morenno (Produção por Cabes)
03 - Que que tá pegando part. Dj Sonik (Produção por Cabes)
04 - Isso é part. Belkis & Dj Sonik (Produção por Cabes)
05 - Cidadão part. Dj Morenno (Produção por Dj Caique)
06 - Mais um passo (Produção por ShaolinBeats)
07 - Decidi fazer o meu (Produção por Cabes, Dario & Dj Soares)
08 - Hora do rolê part. Dj Morenno (Produção por Cabes)
09 - Sempre irá se lembrar part. Dj Morenno (Produção por Cabes)
10 - Batuque (Scratchs Dj Morenno)
11 - Risco na galáxia part. Dj Sonik (Produção por Nave)
12 - Naturalmente part. Ant (Produção por Dario)
13 - Essa é a jornada part. Cris Mora (Produção por Cilho)
14 - Todo dia é assim part. Cris Mora (Produção por Dario)

Fiquem com as músicas "Essa é a Jornada" e "Risco na Galáxia".

Usaupload

Mediafire

RAP BRASILEIRO

| 1 comentários |
|

Tempos atrás, meu mano Jefferson enviou-me uns álbuns Brasileiros e de entre eles houve 2 que eu gostei muito, vale a pena ouvir, falo de Kamau e Nel Sentimentum. Fiquem com algumas tracks para avaliação.

One

Nel Sentimentum - Usaupload - Mediafire
Kamau - Usaupload - Mediafire

DIRECTAMENTE DO UNDERGROUND

| 1 comentários |
|

Directamente do subsolo deixo aqui disponível para download a mixtape do Fly $kuad, intitulada "Directamente do Underground".

A cena conta com 21 faixas, incluindo um freestyle e tem participações especiais de Lukassyo, Infinito, Balta P, The Hot Mc, Kid Mc, Negrado, Subversivo, Anderpil e Nitrogénio

Tracklist
01. Intro
02. Directamente do underground
03. Underground King's (Com Infinito)
04. Árvore Pra A Vida (Com Lukassyo)
05. Exibicionismo vs Liricismo (Com The Hot Mc)
06. Heroi
07. Soldados do Submundo (Com Lukassyo e Infinito)
08. Eu Sou Um Animal
09. Klassicos (Com Kid Mc)
10. Nossas Ruas (com Anderpil e Nitrogénio)
11. Sabes Quem Sou
12. Matei O Beat
12. São Poucos Como Nós (Com Balta P)
13. Se Eu Tivesse
14. Mr Carlos
16. Skill (Com Negrado)
17. África
18. Verdadeiros (Com Subversivo)
19. Karga Mínina
20. Tu Vais Abaixo (Parte I)
21. Freestyle


BACK IN BUSINESS

| 0 comentários |
|

Acabou a boa vida, estou de volta à realidade. Muitas cenas para postar, entrevistas por fazer e por responder, projectos por avançar, objectivos por atingir... É assim que defino o que se vai passar nos próximos meses por aqui.
One

 

Blog Archive