Bem-vindo ao LusoHipHop.
Especialista em vazamento...
Responsável pelas entrevistas do blog.
Responsável por encontrar músicas para o blog
Responsável por uploads de grande tamanho
Responsável por encontrar artigos para o blog

CJ CLUE

| 0 comentários | sexta-feira, 31 de julho de 2009
|

Depois de passar em Califórnia e Cape Town, CJ Clue está agora de voltá à sua terra natal e trouxe consigo dois sons que virão para o seu álbum intitulado "This Is Tha Moment (Este é o Momento)". O álbum terá participações de: Abdiel, Anselmo Ralph, Kool Klever, Malefuck, Paulo Cabonda, Jay Wime, Extremo Signo, Jorge (Rei da selva), Indy Braga, Ghaya, Megga, Artémio, P. Square e outros mais.

Tracklist:
01. Libertação Mental (Old School) [Com Xtremo Signo & Maléfuck]
02. Welcome (Bem-vindo) [Com Indy Braga]

Links para download: Usaupload / Sharex

ALEGRIAS E TRISTEZAS

| 1 comentários | quinta-feira, 30 de julho de 2009
|

Hemoglobina é uma dupla formada por Denexl e Mad Contrário que em 2003 lançaram o álbum Alegrias e Tristezas.
Denexl é certamente um dos rappers mais aclamados do movimento Hip Hop underground angolano, conhecido não só como cantor mas tambem por levar a cabo projectos de divulgação de hip hoppers independentes.
Mad Contrário é à semelhança de Denexl, um dos produtores mais aclamados do movimento Hip Hop angolano, é conhecido pelos seus instrumentais clássicos, daí o nickname "Mad Contrário, o Clássico".


01 - Glóbulos Vermelhos
02 - + e -
03 - Ideografia
04 - Sociedade Civil
05 - Fúria
06 - Estilo Hermético (parte 2 com Dega e Xkal)
07 - Discurso
08 - Evolução Mental
09 - Mundo Bélico (com Rude)
10 - P.I.V.
11 - Regrets (Skit) DJ Tiouwhy
12 - Liberdade Juvenil
13 - Sentimento
14 - Sonho Africano
15 - 180º de Revolução Social (com Mente Profunda, Buta e Fia)
16 - Sentido de Responsabilidade
17 - O Último Fio da Corda
18 - Espécie e Contraspécie (com Aluno Mestre)
19 - Caiu o Pano
20 - Bónus (Grupos)

Links para download: Usaupload / Sharex

SHOW DE HIP HOP ALTERNATIVO - ARTISTAS

| 0 comentários |
|



CENAS ANTIGAS

| 0 comentários | quarta-feira, 29 de julho de 2009
|

Estava eu a revirar o meu HD a procura de músicas, quando encontrei uma pasta com cenas bué antigas. Seleccionei algumas e decidi postar aqui.

Tracklist:
Afrodite, Dona Kelly, Girinha, GP - Full Time
Dona Kelly - Bela Keta
Filhos da Ala Este
Gangsta Du & Makas - Eu Represento
Hemoglobina - Fogo Cruzado
Polivalentes - Entrada
Punidor do mal - Noites de Luanda
Simimi Mimoio - A História do Simimi
Brigadeiro 10 Pacotes - Tu És Mc
Coligação Forever - Underground
Young Squad - Limpeza Mental

Links para downloads: Usaupload / Sharex

ÚLTIMO NÍVEL

| 0 comentários |
|


Com o lançamento do cd "We Run Maputo" marcado para o dia 8 de Agosto no Coconuts Live, e dia 9 de Agosto no Clube dos Empresários, a Magnézia anuncia a marca "Último Nivel" que tem como vocação a promoção de eventos, lançamento de mixtapes e produção de video clips.

Dentro deste movimento já fazem parte grandes nomes nos novos talentos Moçambicanos:

Black Son - Integrante do grupo Goonies, Last Generation de Cape Town e participou na primeira mixtape "Vo6 Não Estão Preparados";

Henvy - a voz de ouro e irmã mais nova da rapper Iveth, e que participou no mais recente single do grupo Magnezia com a Dama do Bling "Celebrando";

Bloco Negro - Grupo de jovens caracterizado pelo flossy type music, com grandes hits no rap independente nas ruas de Maputo;

Black Machine - o rapaz punchliner que agrada toda audiência nos palcos dos eventos de hip hop contenporâneo;

Julie - Já fez parte da família 360º, C-Dub, e do grande projecto "Último Nível". Considerada a Mary J. Blige da nova geração;

James Produções - o nome deste jovem esta nas ruas de Maputo e arredores em grande estilo , o maior produtor de "Comboios";

As entradas para a Último Nível estão cada vez mais cheias, são muitos mcs que querem fazer parte do Movimento. Os interessados podem contactar o Dygo Boy pelo telefone +258825155717 ou mandem os vossos trabalhos para o e-mail: dygoboy@msn.com.

CÉREBRO RECORDS

| 1 comentários | segunda-feira, 27 de julho de 2009
|


Esta 6ª feira, dia 31 de Julho, no Espaço Bahia / Ecletismo Poético, haverá "Noite Especial da Cérebro Records". Os neurónios da Cérebro: Kennedy & DaBullz (Muralha), Kool Klever, X da Questão e Cfkappa estarão lá para apresentar ao público algumas músicas inéditas e outras já conhecidas.

Aconselho-vos a ir ver porque é que considero a Cérebro como uma das crews mais "fortes" liricalmente.

R.A.W. MOVEMENT APRESENTA: "TRINDADE"

| 0 comentários |
|





O mais novo projecto da Prosonik R.A.W (Rebel Alliance Worldwide), movimento que tem como objectivo juntar mc's de varias partes do globo para participações em álbuns, colectâneas e Mixtapes, com plataformas em redes sociais como myspace, hi5, ning e outras, mas sem objectivos lucrativos apenas o de levar a imagem do cenário Rap Underground Angolano além fronteiras...
Começa já a dar os primeiros passos com a musica "Preparação para segunda vinda" de Xtygmaz, Black Diamond e 13° Discípulo para o álbum da Trindade "3 Semi-deuses", que contará com participações de Argo (França), Raf Tag, Cfkappa, Analógicos, Ammoeiser(Alemanha), Bihz EVH (Holanda) e outros.
.
Com produções de Condutor (Portugal), DH, Aljazz (Moz), Primeakhym (Moz), Genefasto aka Aragão Sanda (Espanha), Kimurah, Xdc....
.
A RAW também irá lançar a compilação R.A.W Rebel Alliance Worldwide para breve..
.
Lembramos que a RAW apenas tem 3 produtores Xtygmas, Wagiza, Xdc. E em breve mais news a partir da Namíbia o quartel general da R.A.W...
.
Brevemente o videoclipe da música aqui no blog...
Links para download: Usaupload Sharex Mediafire

EXTREMO SIGNO NA MILLE MAMBOS

| 2 comentários | domingo, 26 de julho de 2009
|

Não sei em que pé está o álbum da Kill Point, mas ao que tudo indica este já não sairá às ruas. Em consequência de um desentendimento entre Extremo Signo e Primow, a Kill Point deixará de existir, podendo assim dar seguimento a um desejo antigo por parte da Mille Mambos que é a edição do álbum do Stress.
.
Além de Extremo Signo, Damage Mc também deverá sair pela Mille Mambos.

BOMBA RELÓGIO

| 0 comentários | sábado, 25 de julho de 2009
|

Em 2002 Bomberjack lança o seu primeiro álbum de originais intitulado “Bomba Relógio” apôs anos a editar material clássico do underground português. Para isso rodeou-se dos mc’s mais conhecidos da nossa praça, um desses grupos era Filhos de um deus menor, banda dos irmãos NBC e Black Mastah. O cd teve algum destaque através do video clip que rodava no extinto canal sol, em jeito de medley, percorria alguns temas do álbum acabado com o mestre Sam The Kid (link para clip: http://www.youtube.com/watch?v=IxnPye35cKk).


Tracklist:
01. Bomberjack - Intro
02. Kacetado e Bomberjack - Rimas & Scratch
03. Adamastor, Bónus e Sam The Kid - A Diferença
04. Filhos de Um Deus Menor - Quem Tem Tem
05. Martinêz - Estilo Bomba
06. Due Kie - Homer Simpson
07. Family - No Momento
08. Xeg e Gino - Dedicado
09. Bomberjack - Interlúdio
10. Shaheen e Telma - Desabafos
11. Johnny Def - HipHop Extra-Inteligente
12. Red Eyes Gang (Chullage, Kosmikilla, Al Qai'da e Naughtygundja) - Redhijack
13. Peep Show Click (Peep Show e J-Cap) - Peep da Show
14. Dobleache
15. Sam The Kid - Trabalha
16. Melo D - É Preciso Avançar
17. Guardiões do Subsolo - Publicidade Enganosa
18. Mentekapta - Quantas x
19. La Ge, La Darklaeme, Edmistone e J-Cap - Conexão Madrid-Lisboa
20. Fuse - Ninguém Escapa
21. Bomberjack - O Fim

Links para download: Usaupload Sharex

O MOVIMENTO HIP HOP QUE NUNCA TIVEMOS

| 0 comentários | sexta-feira, 24 de julho de 2009
|

Neste artigo pretendo transcrever o meu humilde e modesto ponto de vista sobre a construção ideológica do nosso Movimento Hip Hop, porém farei antes de forma breve e geral uma abordagem sociológica sobre o contexto em que nasceu este movimento cultural que constituirá a 1ª parte do artigo e uma 2ª parte referente ao Movimento Hip Hop Angolano.
.
“Sem a construção ideológica na formulação de um movimento sócio-cultural, estaremos a edificar qualquer coisa de falso sem alicerces”, lembro-me de ter lido esta passagem de sua excelência Agostinho Neto, numa das suas memoráveis obras literárias e a mesma catapultou-me a meditar sobre a construção ideológica do movimento Hip Hop Angolano.
.
Parte: I
.

O Hip Hop como movimento cultural nasceu nos Estados Unidos da América numa altura em que o país atravessava um período negro da sua história, vigorava na altura um sistema político marcada pela institucionalização da exclusão social da comunidade Afro-americana.
.
Esta segregação racial gerava efeitos nefastos e avassaladores nos seus destinatários negando-os o acesso a factores elementares e básicos da vida como: direitos, garantias, saúde, emprego digno e acima de tudo acesso á instrução.
.
Durante a vigência deste sistema de segregação e exclusão social,foi nascendo e crescendo na comunidade Afro-americana,um espírito de extrema insatisfação e protestos que mais tarde veio dar origem a pequenas organizações e movimentos de carácter político sócio-cultural que pretendiam de forma extruturada e sistemática organizar os seus ideias de liberdade com o intuito de formular-se uma insurreição generalizada para quebrar o “status quo”.
.
Esses movimentos, cooperativas e associações eram de carácter diversificado e abrangiam todas as áreas de actividade da comunidade afro-americana, desde a religião, música, danças e políticas. Todas estas áreas reflectiam e exteriorizavam o espírito de insatisfação pelo sistema de segregação racial.
.
Foi neste contexto nublado e conturbado da história norte-americana que nasceu nas comunidades afro-americanas, diversos movimentos e géneros musicais como o blues, soul, gospel, punk, movimentos políticos como os Black Phanters, que reflectiam não só o sofrimento vivido nas comunidades negras, mas também as alegrias e os sonhos de uma América Livre.
.
Vários movimentos foram surgindo neste contexto, que posteriormente impulsionaram o surgimento da cultura Hip Hop, que por sua vez não esteve à margem desta realidade, surgindo também como um movimento, com várias expressões culturais entre as quais o elemento musical, marcado por rítmos frenéticos e poesias eloquentes que reflectiam os problemas vividos na altura, assim como os sonhos, alegrias e ambições dos respectivos protagonistas.
.
Ou seja havia na altura um conjunto de valores harmonicamente inter-relacionados que constituíam um sistema que formulavam uma ideologia libertária, que caracterizava não só o blues, gospel, jazz, soul, punk, mas acima de tudo o Rap, o elemento musical da cultura Hip Hop. Os Mcs ou simplesmente mestres de cerimónias eram verdadeiros missionários e profetas cujas poesias reflectiam a tão almejada “Liberdade”.
.
O Hip Hop tinham uma missão, os Mcs eram verdadeiros missionários, visionários e profetas sociais, que ao lado de outras vozes políticas e religiosas da comunidade Afro, funcionavam como repórteres da comunidade, cujas reportagens musicais reflectiam sempre as tristezas, alegrias e sonhos e acima de tudo a luz no fundo do túnel.
.
O Movimento Hip Hop gerou uma febre “total” granjeando mérito por todos os lados em que era representado, e colecionando admiradores locais, regionais, estaduais e posteriormente internacionais.
.
Parte: II
.
O Movimento Hip Hop Angolano, enquadra-se no âmbito de expansão internacional que gerou durante a fase de desenvolvimento e crescimento vertiginoso da globalização cultural entre as nações. Angola não esteve a margem desta realidade, e foi nesse quadro que nos finais dos anos 80 e princípios dos anos 90.
.
Angola é atingida pela tão aclamada “febre” do Hip Hop trazida pelos percursores e pioneiros deste movimento no nosso país como Kool Klever, Phater Mak, SSP, Samurai, GMC, Afroketh e muitos outros.
.
Segundo o Poeta “A notícia perde convicção com o tempo e distância” ou seja ao importar-se esta Cultura Hip Hop, que foi concebido e desenvolvido numa realidade social distinta da nossa perdeu-se alguns factores elementares e basilares que identificavam e caracterizavam esta cultura Hip Hop.
.
Se nos Estados Unidos da América o movimento Hip Hop surgiu como meio de emancipação cultural em Angola o Hip Hop surgiu como uma moda. Moda essa que era seguida e aclamada por milhares de jovens que apesar da sua maioria estarem a margem da essência desta cultura, sentiam-se atraído por este movimento. “O People põe a mão no ar mas no fundo não compreende” esta frase de Kool Klever, expressava bem o quadro do nosso movimento Hip Hop.
.
Nascendo como “moda” o nosso movimento Hip Hop teve desde a sua concepção e divulgação vários factores que desvirtuavam o carácter social e emancipador infringindo os princípios e normas básicas que sustentam a identidade do verdadeiro Hip Hop.
.
O Hip Hop angolano nasceu como um “nado morto” que por insuficiências biológicas sempre esteve condenado a uma incubadora. Edificou-se uma realidade social sem precaver-se da sua construção ideológica como elemento de vector social. Dando assim ao Hip Hop Angolano um carácter meramente lúdico com o fim último de mero instrumento de entretenimento e o de amealhar alguns kwanzas.
.
Durante anos à fio foram surgindo várias intervenções de figuras incontornáveis do nosso movimento Hip Hop, tais como: Mc K, Grande L, Raf Tag, Hemoglobina, Matafrakuz e muitos outros, com o intuito de estruturar e consolidar esta corrente cultural. Mas como dizia o Poeta “uma só andorinha não faz a primavera” ou seja a mediocridade mostrou-se invencível pois os medíocres são a maioria.
.
Com quase 20 anos de Hip Hop em Angola é chegada a altura dos balanços e consultas ao barómetro para vermos se houve progressos e evoluções ou retrocessos e estagnações.
.
É chegada á altura de fazer-se perguntas e responder-se as dúvidas e reticências.
.
Qual é o papel do Hip Hop no nosso meio social ?
Quantas batalhas sócias foram ganhas por este movimento cultural ?
Quem são os nossos mestres de cerimónias visionários, activistas e profetas ?
Qual é a missão dos mcs angolanos ?
O que é na verdade ser uma mestre de cerimónia ?

São essas e muitas outras perguntas que merecem respostas por parte de todos nós que nos sentimos ligados á este movimento como músicos, colunistas, dançarinos e consumidores no geral.
.
“Hoje em dia tudo mudou, o falso é aplaudido iludido por um público sem conhecimento adquirido, espero pelo regresso do Hip Hop ao seu estado Natural” Bob Da Rage Sense; “Sem a construção ideológica na formulação de um movimento sócio-cultural, estaremos a edificar qualquer coisa de falso sem alicerces” Deja Vu
.
Ps: Recomendo a todos os amantes do Hip Hop, a consultarem e interpretarem a Declaração Universal De Hip Hop assinada a 16 De Maio de 2001, em Nova Yorke pela U.N.E.S.C.O (ONU) impulsionada pelo activista, filósofo e rapper Krs One, Pop Master Flabs, Mc Daniels, Africa Bambaataa, Harry Allen e muitos outros.
.
Lenny aka Soba L
Jurista

SENTIMENTUMLOGIA

| 0 comentários | quinta-feira, 23 de julho de 2009
|

Depois de 9 anos de aprendizado, muito trabalho e um bom tempo de laboratório com o seu grupo, “AudiocraciaNel Sentimentum, lança o seu primeiro trabalho solo, o Ep entitulado “Sentimentumlogia” (2008). Um disco que traz no repertório 13 faixas que demonstram todo o seu amadurecimento como artista. Produzido quase todo pelo próprio Nel Sentimentum, mas também contando com produções notáveis de Nave, Dario, Dj Caique e Scratchs por conta de Dj Morenno, que fez com que a obra se tornasse completa. Destaque para a faixa “O Amanhã”, uma música que fala sobre memórias, força de vontade, esperança e amor pela vida, fazer “hoje”, aquilo que pode criar um “amanhã” melhor. Outra faixa que chama a atenção é “Feito Músicas de Elis”, que conta a estória de uma desilusão amorosa, vivida por um Mc, mas que podia ser qualquer pessoa no lugar desse personagem. A letra vai descrevendo os momentos, de maneira que quem ouve, consegue fácilmente ver um filme, cena por cena. Acompanhado de uma batida pesada e intensa, o Mc faz com que uma música que poderia parecer um “clichê”, virasse algo diferente e surpreendente.
.
O disco tem um bom contraste mas sem perder a forma e a indentidade. Músicas como “Pilantragem” e “Daileon”, dão um tom mais pesado para o Ep, faixas como “Nada Pode Nos Parar” e “Equalizando a Poesia”, trazem um ar mais reflectivo para o conjunto da obra, não esquecendo do lado descontraído, que ficou por conta da faixa “Bóra pro Rolê”. Tudo isso com muita coerência e mantendo a essência, dentro de um conjunto de idéias e sentimentos.
.
Sentimentumlogia, um disco que enfatiza a positividade e o equilíbrio entre a mente, corpo e espírito. Músicas para emocionar, chorar e sorrir. Simples e direto. Certamente mais um trabalho curitibano de peso, que vem para somar com todo o Rap Brasileiro.
.
Tracklist:
01 - Sentimentumlogia
02 - Meu Processo
03 - Equalizando A Poesia
04 - Feito Músicas De Elis
05 - Bóra Pro Rolê
06 - 5.43 A.m
07 - Pilantragem
08 - Nada Pode Nos Parar
09 - Pra Todo Mundo
10 - O Amanhã
11 - Daileon
12 - Lírico Espontâneo
13 - Não Há Arte Vs Arte
.
Links para download: Usaupload Sharex

TSUNELA KA MULORO

| 0 comentários | quarta-feira, 22 de julho de 2009
|


Tsunela Ka Muloro é o single de avanço do álbum Influências Urbanas do grupo de produtores Paiol Sonoro. É a primeira vez que este trabalho é disponibilizado ao público de forma grátis depois de ter sido lançado em Dezembro de 2008.
A cena já havia sido postada a quando da entrevista com o grupo Paiol Sonoro, mas decidi dar mais ênfase ao post.

Paz
Tracklist:
01. Balanço Inspirador (Com Face Oculta & Bhakka)
02. Balanço Inspirador (Com Face Oculta & Bhakka) (Instrumental)
03. Datas (Com L. Nato & MiMae)
04. Tsunela (Com Timbone Tha Dja & Fig De La Virgem)
05. Tsunela (Com Timbone Tha Dja & Fig De La Virgem) (Instrumental)
06. Um Sonho (Com 9na Xpada, Decimu Terceiru & Bhakka)
07. Um Sonho (Com 9na Xpada, Decimu Terceiru & Bhakka) (Instrumental)
08. Um Sonho (Com 9na Xpada, Decimu Terceiru & Bhakka) (Com coro)
Links para download: Usaupload Mediafire

MASTA K - SHOW DE HIP HOP ALTERNATIVO

| 1 comentários |
|



PACOTE DA SEMANA #7

| 0 comentários | terça-feira, 21 de julho de 2009
|

Músicas para a semana toda, desta vez é maioritariamente de Moçambique. Grande som do grupo Karga Máxima, Cotonete Records também se faz presente no remix de uma música que consta no single da Iveth, Dj Crossfader com participação de WonderBoy, SwissBoy e Hernani da Silva (exagerou, ya!), Yung D acompanhado de Cage One em 2 steps, entre outros sons não menos importantes...

Baixem a cena

*DJ Cross Fader - Niggas Querem Imitar (ft. WonderBoy, SwissBoy, Hernani da Silva)
*Cotonete Records - Deixa Viver (Remix)
*Bloco Negro - All Stars (ft. Henvy)
*Karga Máxima - Filho Abandonado
*Melvin - Não Intimidas
*Yung D - 2 Steps (ft. Cage One)
*Armadu - Last Meal (Remix ft. Kloro, Pidja-Pidja, Skwiza, Azagaia, Flash, Shakal, ASmall, Mr. Arsen, Nito)

Links para download: Usaupload - Sharex

STONECOLD

| 0 comentários | domingo, 19 de julho de 2009
|

A Madlândia é com certeza um dos álbuns mais esperado deste ano, o projecto do já conceituado produtor Mad Contrário está a ser aguardado com grande expectativa. E enquanto a cena não sai, disponibilizo aqui a participação do Reptile no referido projecto.

Curtam a cena...

Links para download: Usaupload - Sharex

PRA QUEM JÁ MORDEU UM CACHORRO POR COMIDA, ATÉ QUE EU CHEGUEI LONGE

| 0 comentários |
|

Emicida é mais conhecido nas batalhas de freestyle, já foi campeão da liga dos MCs. A mixtape tem 25 faixas e é muito bem trabalhada, tem influências de jazz, samba, mas o que mais me chamou a atenção mesmo foi a maneira do Emicida rimar, de forma verdadeira.

A letra dessa música, “Só Isso”, por exemplo, é uma aula não só pra quem compõe rap, mas sim pra todo e qualquer tipo de escritor. Em poucos meses ele já vendeu 3 mil cópias e tudo de forma independente, na guerrilha mesmo.

Tracklist
01 - Intro (É Necessário Voltar ao Começo)
02 - E.M.I.C.I.D.A (Adoooro)
03 - Sozim
04 - Rotina
05 - Pra Mim... (Isso é Viver)
06 - Ainda Ontem
07 - Pra Não Ter Tempo Ruim
08 - Só Isso
09 - Vô Busca Minha Fulô
10 - Ela Diz
11 - Por Deus Por Favor
12 - Preciso (Melô do Mundiko)
13 - A Cada Vento
14 - Sei Lá...
15 - Cidadão
16 - Soldado Sem Bandeira
17 - Vai Ser Rimando
18 - Um, Dois, Três, Quatro
19 - Fica Mais Um Pouco Amor
20 - Outras Palavras
21 - Hey Rap!
22 - Essa é Pra Vc Primo...
23 - Triunfo
24 - Eu Tô Bem
25 - Ooorra...(A Que Deu Nome a Mix Tape)

Links para download: Usaupload - Sharex

PAIOL SONORO

| 1 comentários |
|

Com certeza muitos de vocês já ouviram falar em Paiol Sonoro, grupo de produtores moçambicanos que contam com vários trabalhos no mercado como podem verificar aqui. Para quem não conhece ou quer saber um pouco mais sobre eles, a Miss Djei preparou uma entrevista com os manos deixo aqui o resultado dela. Boa leitura.
Notem que no final da entrevista poderão encontrar o single promocional do álbum Influências Urbanas.

1. Há uma coisa que muita gente tem demonstrado uma certa vontade de saber: Quem são na realidade "Paiol Sonoro"? É um grupo? Quantos elementos?
FreeYaMind: Paiol Sonoro é um grupo de produção constituido por 5 elementos nomeadamente: FreeYaMind, NeuroToxina, AljaZz, Origimoz & 2Win C. Este grupo é filiado da Label "911 Estúdio Genérico" um label existente desde 2005 no mercado underground moz.

2. O mundo hip hop esta em constante movimento, vão surgindo novas tendências relativamente a produção, flows, maneiras de rimar. Qual é o segredo para manterem a vossa originalidade?
ORIGIMOZ:
Como todos sabemos, a originalidade tem o seu preço e para encaixarmo-nos neste factor, o único segredo é sermos nós mesmos. Mesmo tendo membros diferentes os grooves são de cada um... e isso faz-nos mais interessantes do que os outros.
NeuroToxina: O segredo de tudo na vida é ser dinâmico! O Paiol Sonoro é bem dinâmico, mas para além disso é preciso ter uma marca, trazer algo diferente para os ouvidos das pessoas, porque hoje em dia muita coisa soa a mesma.

3. Geralmente os grupos começam por se terem conhecido na escola ou algum lugar assim. Como surgiu a ideia para a formação do grupo?
NeuroToxina : eu já conhecia o Origimoz desde os primórdios da nossa existência, com 14/15 anos por ai, através de um amigo de infância primo do Sick Brain, o Nunas MC do Terceiro Mundo que depois fez parte da 911 e apresentou-me o AlJazZ. O AlJazZ por sua fez apresentou-nos a mim e o FreeYaMind ao Twin e no final das contas o FreeYaMind é que foi o orquestrador da ideia do Paiol Sonoro e que também sugeriu o nome! Com mais precisão a história teria mais linhas, mas duma forma simples a historia é essa.

4. Das inúmeras produções que já fizeram, eram capazes de descrever um top 5 dos artistas com que mais se orgulharam a trabalhar?
FreeYaMind: FaceOculta ; Azagaia ; Isabel Novela : Iveth ; L. Nato
Aljazz: Mercy, Spon, Azagaia, FaceOculta, Azagaia
NeuroToxina: L. Nato, Decimu Terceiru, Gilman, Ivan
Origimoz: The Dream, LEX (EUA), Chile Price, L. Nato e QuEsT.

5. Como foi a transição do "anonimato" para o "reconhecimento"?
NeuroToxina: A transição foi gradual o que nos ajudou a lidar com essa mesma transição! Porque de um momento para o outro tens muita gente te pedindo beats, é para quem fazia beats sem noção do mundo fora isso é complicado! Por um tempo foi difícil, mas depois foi fácil contornar a situação.
FreeYaMind: Yap a transição foi mesmo gradual estamos nessa s*** desde 2005.

6. Em alguma circunstância já pensaram em "parar" de produzir? Porquê?
Aljazz: NUNCA!! Por Amor a arte de fazer música mesmo sem fins lucrativos!
NeuroToxina: Não. Nunca pensamos nisso! Pois a gente adora música e estamos dispostos até a ser mártires se for o caso. Acho que o facto de não estarmos a conseguir alcançar todos os nossos sonhos e objectivos é que nos faz não desistir.
Origimoz: Pensar em parar de produzir no meu caso já aconteceu, mas eu mesmo já notei que música para todos que já conseguiram estar nela a mais de 4 anos, é virtualmente IMPOSSIVEL parar. O amor é demais mesmo.

7. Projectos futuros?
FreeYaMind: O paiol sonoro tem como agenda de 2009 o lançamento de 3 obras nomeadamente Influências Urbanas que sai mesmo dentro em breve que envolve vários mcs moz em seguida lá para o final do ano temos agendados dois trabalhos nomeadamente “Sessões de Remistura Tente Isto Em Kasa Vol. 2” e “Citzen Of The World” que será uma espécie de mixtape de faixas produzidas pelo Paiol para os diferentes mcs dos 4 cantos do mundo desde USA, Angola, Chile, Portugal, Brasil, Canada etc....em 2010 temos programado o lançamento do álbum de Paiol Sonoro & Denexl (mc Angolano residente na Rússia) e Paiol Sonoro & Coldman (mc Moçambicano).

A título individual Origimoz está a trabalhar com Quest (EUA), Treazon (EUA), Dice da 1st Class, Noémia (The Dream). O Aljazz juntou se com o mcs americano Spon (EUA) da BeatFanatik Group formando o grupo "IMPACT"e vão lançar ainda este ano o álbum "Brazillioners". O 2winc irá trazer dentro em breve o seu beat tape "Obras Do Espírito Vol.1" quanto ao Neuro seus projectos ainda são segredos de estado e não estou autorizado a revelar

8. Qual a vossa opinião sobre o Hip Hop actualmente?
Aljazz: Muito bom, porém saturado, mas não diria saturado no lado negativo, é para nós num lado positivo, pois o hiphop está além fronteiras e cada vez mais domina o mundo, com vários estilos, várias fusões e visões, etnias e raças. Nós já podemos considerar que o hiphop é música do futuro. Os estilos nas quais são criados nuncam deixam de respeitar a sua origem e isso é o mais importante!
NeuroToxina: Acho que na vida tudo depende da perspectiva que tu olhas para as coisas! Qualquer coisa na vida tem o lado positivo e negativo, isso é que cria o equilíbrio nas coisas! O lado negativo é que existe pouca originalidade, poucos têm estilo próprio e algo de novo para dar. O segundo ponto é que estão todos mais preocupados em aparecer do que em evoluir. O lado positivo é que existe muita quantidade e isso é que faz a qualidade, e também já estamos atravessando fronteiras

9. Muito se tem dito sobre "Comercial Vs Underground". Para que lado da moeda se inclinam as vossas produções?

AljaZz: Para nenhum dos lados, o Paiol Sonoro faz música para todo tipo de ouvido, qualquer artista que requisitar beats nossos terá o que deseja. Mas claro, tudo dentro da secção hiphop (R&B, Soul, Jazz, Fusion, Electro).
Neurotoxina: Bem, a gente pensa de outra maneira, porque no final das coisas a gente conclui que tanto o Underground como Comercial é tudo musica! Logo, nós temos um estilo de produção "meio termo" que se resume ambas as coisas numa única coisa.

10. Há algum tempo atrás, organizaram o evento "Expo Beats", qual foi o propósito, como foi a receptividade do público em geral e a reacção dos produtores em particular?
NeuroToxina: A receptividade foi boa e associada a alguma supresa, porque o que a gente trouxe ninguém estava a espera, porque as pessoas conhecem uma certa faceta do Paiol Sonoro associado a coisas mais "Soulful" e a gente na Expobeats trouxe algo mais "rough" e isso era algo que ninguém esperava! E como sempre no final das contas a gente surpreendeu as pessoas em geral como chega a ser hábito, cada beat algo diferente.

Links para download: Usaupload - Mediafire


INVASÃO ÀS RUAS

| 0 comentários |
|


A mixtape Invasão às Ruas de Duplo N já tem data de lançamento, finalmente saiu do "brevemente" para o dia 15 de Agosto. Depois de "Além Fronteiras" em 2007 e Mafia Street em 2008, "Invasão às Ruas" será assim a sua 3ª mixtape em 3 anos e a mesma comporta 15 faixas.
.
Para mais info:
Cell: (+244) 924 253 031

POR TRAZ DE TUDO VOL. II

| 0 comentários |
|

Mq Soulja, emcee de Cabinda, lançou o Volume 2 da mixtape "Por Traz de Tudo" que já está a girar pelas ruas de Cabinda e não só. Façam o download da mesma a partir do link abaixo.

Tracklist
01 – Intro
02 – O real
03 – Não Podes Me Igualar (Com Golden Girl & Geezy)
04 – Lamento
05 – Carta
06 – Bambinas (Com New Souljas (Thug Click))
07 – Pra Minha Hood (Com Freddy Shine)
08 – Comando A City (Com Freddy Shine)
09 – Não Pude
10 – Dinheiro Acima Delas (Com Diplomatta, Hida The Real, Ady Boy & NGA)
11 – Sou Um Thug (Com Masta & Aci Do)
12 – Hood Na Back (Com Freddy Shine)
13 – Algo De Bom Na Vida Parte II (Com Diplomata)
14 – Ride Or Die (Com Trey Songz)
15 – Hands up (Com Rock City)
16 – In Da Hood

Link para download: Usaupload

CREWCIAL - OMBUTO

| 0 comentários |
|

Membros do colectivo Afro Click, os Crewcial atravessaram uma normal fase de maturação e estabilização, mantendo-se activos desde a formação. Paulatinamente conquistaram o seu espaço, marcando a sua existência através de concertos cada vez mais sólidos, e aparições individuais em álbuns de grupos tão diversos como Expensive Soul, Fidbek, Keso, Cruzfader, Verbal e, principalmente, no álbum de estreia dos seus companheiros de longa data nos Afro Click: Khond & Sinistro.

Fiel às raízes, Ombuto (A semente), é um álbum com uma forte componente social e política onde, de uma forma vincadamente forte e consciente, se marcam valores históricos da raça negra. Dotados de um lirismo profundo, a diversidade é deveras notória, proporcionando ao ouvinte uma variedade temática que reflecte não só a sua vivência consciente, mas também a apetência para a diversão presente em alguns sons de tom festivo.

Os membros Paz, Supremo G e Diggy K, utilizaram a experiência adquirida para aprimorar e amadurecer a sua música, estando certos que este é o momento ideal para o dar a conhecer ao público. Ao nível de convidados, "Ombuto" oferece o talento de artistas como Fidbek, Chullage, Renegado, Bezegol, Bad Spirit, Khond & Sinistro, M-Pal, Afro Click e das jovens estreantes: Gieri e Janice.

Fonte: CdGo

TrackList:
01. Intro-dução (com Fidbek)
02. Escrevo (com DJ M-Pal)
03. Será Fé
04. Não Preciso
05. Futilidades (com Sinistro, Gieri e Janice)
06. África Terra Mãe (com Chullage)
07. Valoriza
08. Dedicação (com DJ Bezegol)
09. É Pró Mo Povo (com Khond MC)
10. Não Imaginas (com Renegado)
11. Eterno Guerrilheiro
12. Num Segundo (com Bad Spirit)
13. Luv U
14. Saudades (com Nigga Vi)
15. Sangue Do Meu Sangue
16. Raízes
17. Put Ya Handz Up (Afroclick - com DJ Bezegol)

Links para download: UsauploadSharex

MAGNÉZIA – CELEBRANDO

| 0 comentários | sábado, 18 de julho de 2009
|



Pessoal, em primeira-mão, trago-vos o single de avanço dos Magnézia, da mixtape “We Run Maputo”. Henv e Dama do Bling acompanham o grupo nesta Celebração, os rapazes têm motivos para tal.


Não esqueçam… Próximo fim de semana, no Coconuts: We Run Maputo. Terá participações de emcees angolanos, de entre eles o Cfkappa e Fly Skuad.


Links para download: UsauploadSharex


BLACK INK É A CREW

| 0 comentários |
|





A Black Ink está a preparar-se para invadir as ruas em peso. A mixtape do CMC "Amor e Negócios Vol. 2"está aí a chegar e ao que se sabe deverá contar com alguns instrumentais originais. O produto já está pronto e deverá estar nas ruas muito em breve.


Quem também irá embarcar nessa onda são os Black Soldiaz (também da Black Ink) que em meados de Setembro pretendem lançar o seu "Maxi-single". Deixo-vos com a música promocional dos Black Soldiaz, intitulada "Black Ink É A Crew" e algumas outras do CMC que devem vir na mixtape "Amor e Negócios Vol. 2".


Links para download: Usaupload - Sharex


PACOTE DA SEMANA #6

| 1 comentários | segunda-feira, 13 de julho de 2009
|

Pessoal, hoje trago para vocês algumas novidades no pacote da semana. Têm aí o brasileiro Cabes, Das da Army Music (esse brother é mesmo bom), de Moçambique trago-vos Slim Nigga acompanhado de Hernani da Silva e LW e os meus manos Legacy e Flash (Micro 2) com um tema cujo o video clip deve estrear no final deste mês, nova música de Laton e Piracknideo e por fim Lucassio da Caixa de Pandora vindo Directamente do Underground.
.
Tracklist:
*Cabes - Diga Sim
*Das - Firme (Remix)
*Micro 2 - Crimenologia (Prod. Sniper)
*Slim Nigga - Intervalo de Lunch (Remix ft. Hernani & LW)
*Laton & Piracknideo - Nós Tamo A Bater
*Lucassio - Filho do Underground
.
Links para download: Usaupload - Sharex
Uploads de Pitbull Mau

PROCURE PELO BLOG

| 0 comentários |
|

Pessoal, Agora ficou muito mais fácil procurar por artigos e músicas aqui no blog. Já está disponível no canto superior direito a barra de "Pesquisa". Antes de solicitar alguma informação, façam antes uma busca pelo blog através da barra de pesquisa para evitar publicações com o mesmo conteúdo.
Espero que vos seja útil.

PACOTE X

| 0 comentários | domingo, 12 de julho de 2009
|

Pacote X é um projecto da X-10 Records, lançado em 2007 e que contou com a participação de Maléfuck, Naice Zulu & BC, Amak-Yeve, Megga, Papitchulo, Silvia Campos, Celder, Phay Grand e Mad Contrário. A produção musical ficou a cargo de D.H. ( 2, 4, 6, 10, 16), Mad (8, 14) e Levell (12).


Aproveito para informar em primeira mão que o Volume 2 deste projecto já está a caminho e que desta vez será um pouco mais abrangente, ou seja, os temas não serão interpretados apenas por artistas da X-10. Se assim for, fica uma pergunta no ar: "Afinal, quem irá dropar sobre os electrizantes beats do D.H.?". Aguardem para saber...


Tracklist:
01. Naice Zulu & BC - Intro
02. Phay Grand - Beber! Mas Com Moderação
03. Naice Zulu & BC - Skit
04. Maléfuck - Anda Cá Dançar (Com Megga & Papitchulo)
05. Naice Zulu & BC - Skit
06. Amak-Yeve - A Voltagem (Com Mad)
07. Naice Zulu & BC - Skit
08. Celder - Ouve e Sente (Com Silvia Campos & Mad)
09. Naice Zulu & BC - Skit
10. Maléfuck - Juge Moi
11. Naice Zulu & BC - Skit
12. Amak-Yeve - Minha Força Motriz
13. Naice Zulu & BC - Skit
14. Maléfuck - Me Ensina Só (Com Naice Zulu & BC)
15. Naice Zulu & BC - Skit
16. Naice Zulu & BC - Amor A Camisola
17. Naice Zulu & BC - Outro

Links para download: Usaupload - Sharex

 

Blog Archive